Sempre promove ações especiais para pessoas com autismo durante pandemia

Nesta quinta, 18 de junho, é celebrado o Dia do Orgulho Autista

A Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), realiza ações especiais para atender e garantir os direitos das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), grupo mais vulnerável ao coronavírus, durante a pandemia. O conjunto de inciativas é articulado, acompanhado e executado pela Unidade de Políticas Públicas para Pessoa com Deficiência (UPCD), órgão gerido pela Sempre.

No total, já foram entregues mais de 23 mil cestas básicas e mais de 5 mil kits de limpeza e higiene pessoal a alunos da rede municipal, público em geral e Organizações Sociais que atendem pessoas com deficiência, inclusive exclusivamente com TEA. Para potencializar e estimular as doações, a gestão realizou o Drive Thru Solidário visando arrecadação de alimentos e materiais de limpeza. A prefeitura também lançou a campanha “Doa+Salvador”, em parceria com o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, instituição vinculado à Sempre, e a startup baiana SolidarEasy.

Outra decisão importante que atendeu a pleito das famílias, refere-se à flexibilização da utilização de máscaras por pessoas com autismo. A medida foi autorizada pelo prefeito ACM Neto através do Decreto Municipal n° 32.461. A ação leva em consideração as características mais frequentes nas pessoas com TEA, que é a reatividade sensorial, a texturas, objetos ou qualquer contato externo com a pele. Com isso a utilização de máscaras se torna inviável para grande parte deste público, tendo em vista a sensação de desconforto, dor e sofrimento, podendo desencadear crises graves.
Além disso, a Sempre organizou a divulgação da cartilha com informações gerais e específicas para Pessoas com Deficiência e com Doenças Raras, no combate ao COVID-19, lançada pela Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

De acordo com a secretária da Sempre, Juliana Portela, as ações refletem o cuidado e respeito da gestão municipal com o público autista. “A prefeitura tem um olhar inclusivo, enxerga e atua, sobretudo, nesse momento da pandemia, reforçando as ações para atender as necessidades e garantir os direitos das pessoas com deficiência”, afirma.

Para o diretor da UPCD, Wagner Andrade, é importante ter ações articuladas respeitando a diferença do público. “Autismo, não é doença, é uma condição. Por isso a pessoa com autismo deve ser respeitada por sua diferença, como parte integrante da diversidade humana”, pontuou.

18 de Junho

O Dia Mundial do Orgulho Autista começou a ser celebrado em 2005, por iniciativa de um movimento de pais das pessoas com autismo, nos Estados Unidos. Eles comemoraram o sucesso na intervenção terapêutica com os filhos. A data foi replicada no Brasil e tem como principal bandeira o combate ao preconceito e o respeito às diferenças. No Brasil há cerca de 2 milhões de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), em Salvador estima-se que o número é de 45 mil.

<< Voltar