Sempre identifica 82 crianças em condição de trabalho infantil e encaminha a órgãos de proteção durante pandemia

Nesta sexta, 12 de junho, é o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil

A Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) identificou, no período de 14 de março a 05 de junho, 116 situações de crianças e 52 adolescentes, vivenciando algum tipo de violação de direito, e 82 em condição de trabalho infantil. Os dados são do Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), que realiza abordagens diariamente, também, no período da pandemia do coronavírus. Os casos foram encaminhados para os CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e Conselhos Tutelares.

A secretária da Sempre, Juliana Portela, destacou a importância do trabalho, sobretudo nesse período. “Nós trabalhamos com ações de conscientização, através das equipes do serviço especializado de abordagem, a fim de evitar todo e qualquer tipo de violação de direitos, em especial o trabalho infantil e violência sexual contra crianças e adolescentes. A garantia dos diretos das nossas crianças é fundamental no trabalho desenvolvido pela Sempre”, afirmou.

A Sempre realiza o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), com abordagem social, oficinas, palestras, audiências públicas, mapeamento e identificação do público, com a finalidade de identificar as diversas violações de direitos. “Com isso, a pasta fortalece a rede de proteção social voltada ao público infantil, com atividades socioeducativas, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, atendimentos na rede socioassistencial e alinhamento com órgãos fiscalizadores com intuito de coibir a prática do trabalho infantil”, pontuou Adriana Vieira, técnica de referência do PETI.

Nesta sexta, Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a Sempre promove uma live, às 15h, com a temática “trabalho infantil e assistência social”, no instagram @sempresalvador , além da divulgação de um vídeo abordando o tema e ação, em conjunto com a Secretaria de Educação Municipal, com distribuição de material educativo, 10 razões para não ocorrer o trabalho infantil e a entrega de cestas básicas para os educandos. O número para denunciar é o Disque 100.

<< Voltar