Equipe da Secretaria de Promoção Social acolhe dois migrantes nesta sexta-feira (16)

Os acolhimentos de dois migrantes marcaram o trabalho da equipe do Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas), da Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), nesta sexta-feira (16). Pela manhã, o atendimento foi feito a Salvador Silva Sampaio, de 58 anos, natural de Ubaíra, no interior baiano. À tarde, foi a vez de Cleriston Rafael, de 24 anos, vindo do estado da Paraíba. Ambos foram encaminhados a Unidades de Acolhimento Institucional (UAI) administradas pelo município.

Sampaio morava em São Paulo, onde trabalhou como pedreiro, carpinteiro e jardineiro – sendo esta última sua verdadeira paixão. Vítima de um golpe, ficou sem casa e, por isso, resolveu voltar para o Estado de origem. Chegando a Salvador, sem recursos, permaneceu em situação de rua por cinco anos, sempre resistindo aos contatos realizados pela equipe do Seas. Finalmente, ao ser abordado pelos técnicos da Seas, no bairro do Comércio, foi sensibilizado e encaminhado para a UAI Amaralina.

“Obrigado! Sinto-me gente, vivo, humano, amado, cuidado pela assistência social da Prefeitura. Fico muito grato ao secretário que me recepcionou com amor fraternal, lá na rua quando eu estava deitado. Que Deus dê saúde a todos e 100 anos de vida”, declarou o jardineiro.

“Hoje, seu Salvador, depois de muitas tentativas de sensibilização pela equipe da abordagem social, aceitou o convite para ir para uma das Unidades de Acolhimento. São situações como esta que motivam a Sempre a continuar atuando para melhorar a vida das pessoas”, declarou o titular da pasta, Kiki Bispo.

Expectativa – Já na Estação Rodoviária, os técnicos recepcionaram Cleriston Rafael que, após divergências familiares, ficou em situação de rua por cerca de um ano. Ele que estava em Campina Grande, na Paraíba, após alinhamentos realizados entre as secretarias das duas cidades, pôde retornar para Salvador.

“Minha expectativa agora é conseguir um emprego, alcançar uma coisa melhor na vida, fazer uma faculdade, fazer um curso, algo assim”, declarou Cleriston, ao chegar à capital baiana. Ele foi acolhido na UAI localizada nos Barris e, no local, será inscrito em projetos e benefícios socioassistenciais, como o CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal), Minha Casa, Minha Vida e benefícios eventuais, como o Auxílio Moradia.

“Ele também será encaminhado para retirada de documentação oficial, caso necessário. Será providenciado, ainda, o acesso à rede de ensino e capacitação profissional, com vistas à inclusão produtiva e o desenvolvimento de autonomia financeira para garantir o empoderamento dos indivíduos na sociedade”, disse Bispo.

Funcionamento – O Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) realiza sensibilização de pessoas em situação de rua, por toda a cidade, principalmente, nos locais onde há maior incidência. As equipes formadas por educadores, assistentes sociais e psicólogos seguem trabalhando diariamente, inclusive à noite, realizando busca ativa de famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e social que utilizam os espaços públicos como forma de moradia e/ou sobrevivência para oferecer acolhimento institucional e alternativas de reinserção social, familiar e comunitária. Estas ações já oportunizaram 1.676 acolhimentos neste ano.

Fotos: Vitor Santos/ Ascom Sempre

Publicado em 19/07/2021

<< Voltar